Cabuloza Wild Life

exposição de Pedro Sánchez tem abertura dia três de maio, às 19h, no Museu do Trabalho

O primeiro número da Cabuloza Wild Life foi editado em outubro de 2013. Naquele ano o artista Pedro Sánchez havia sido selecionado e estava frequentando o concorrido curso de Aprofundamento da Escola de Artes Visuais do Parque Lage no Rio de Janeiro, um programa de acompanhamento de projetos e discussões de arte contemporânea. Suas investigações artísticas permeavam na época questões sobre apropriações culturais, espaciais e sígnicas, e giravam em torno do arrastamento da gravura para o espaço urbano, reverberando as ideias que ele vinha trabalhando durante a elaboração de sua pesquisa de doutorado, defendida no ano anterior. A realização daquela edição foi de certa forma uma ruptura com uma pegada mais conceitual e um retorno ao prazer do desenho, da manualidade da xilogravura e da anotação poética do cotidiano.

Agora, este projeto poderá ser visto no Museu do Trabalho, na mostra homônima, que se inaugura dia três de maio, quinta-feira, às 19h.

Cabuloza Wild Life é uma publicação independente, inscrita sob o ISSN 2447-8849, editada, ou seja, gravada e impressa, em xilogravura, não assinada e não numerada, com periodicidade irregular e tiragem sob demanda. Os cinco primeiros números tiveram uma configuração padrão, impressos frente e verso e dobrados, como um folder, de modo que, fechados, eram lidos e folheados como uma revista e, abertos, dispostos como um pôster. A partir de então, cada número teve um formato próprio, por exemplo: a N. 6, em uma versão XXG, a N. 8, em uma edição in folio, e a N. 10, em lambe-lambe, composta por oito módulos e que teve suas cópias espalhadas pelas ruas do Rio de Janeiro.

Nesta exposição no Museu do Trabalho o artista mostra grande parte desta produção, além da Cabuloza Wild Life N. 13, edição feita por encomenda para o Consórcio de Gravuras do Museu do Trabalho - que vem devidamente assinada e numerada, com tiragem de 100 exemplares - e as subsequentes cópias tiradas durante o processo de elaboração dessa edição. Estas impressões, que são chamadas de P.Es. – Provas de Estado – são espécies de relíquias de atelier. “Aquilo que a perícia de arte descobre através de análises ultrassônicas de pinturas, na gravura, onde tradicionalmente agimos num suporte e momento e visualizamos em outros, é segmentado e registrado por estas cópias” afirma Pedro Sánchez. “Elas registram a performance secreta do artista, o diálogo pessoal entre o autor e sua obra. São o diário de bordo que documentam as idas e vindas que se escondem por baixo da elaboração de cada trabalho, a imprevisibilidade, a flexibilidade, os riscos, as burradas, as cagadas e as guinadas, que são o grande barato da viagem”c completa.

Pedro Sánchez é artista visual, pesquisador e professor, formado em Gravura pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em História da Arte pelo programa de pós-graduação em História Social da Cultura, da PUC-Rio. Doutor em Design por esta mesma instituição. , desenvolveu a pesquisa, Gráfica de rua: estratégias e táticas na cultura visual de rua do Rio de Janeiro. É Professor Adjunto e Coordenador do curso de Gravura da Escola de Belas Artes da UFRJ, membro do grupo Coletivo Gráfico, e editor da Cabuloza Wild Life - uma revista-poster.
Das exposições coletivas que participou destacam-se: Gráficos Rio, no Museu Nacional de Belas Artes, em 2009; Entre, na Galeria de Arte Ibeu; Parede – Festival Internacional de Poster-arte, no Centro Cultural Justiça Federal; ParedeGrown, na galeria-loja Homegrow, Ocupação Gráfica, no Estudio Dezenove, em 2010; ATEMPORAL, na Jaime Portas Villaseca Galeria, em 2011; Acervo, na Jaime Portas Villaseca Galeria, Gesto Amplificado, na CAIXA Cultural do Rio de Janeiro e na CAIXA Cultural de São Paulo, Edições [UM], na Portas Vilaseca Galeria, Gramática Urbana no Centro de Artes Hélio Oiticica em 2012; ArtRua, festival de arte urbana, no Galpão Gamboa, em 2013; Quarta Mostra, exposição final do Programa de Aprofundamento da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, em 2014; Circular, na Galeria Quintal, Rio de Janeiro, em 2015; Such a Perfect Day, individual no Espaço Cultural Sérgio Porto, 2017.

Cabuloza Wild Life - Mostra de xilogravuras de Pedro Sánchez
Abertura dia 03 de maio, quinta, às 19h
Visitação de 04 de maio a 01 de julho de 2018
Terças a sábados, das 13h30 às 18h30 / Domingo e feriados, das 14h às 18h30


Museu do Trabalho - Rua dos Andradas, 230. Centro Histórico – Porto Alegre
Fone 51 3227 5196

Informações para imprensa:

Bebê Baumgarten Comunicação
51 3028.4201 / 98111.8703
bebe@bebebaumgarten.com

www.bebebaumgarten.com